NIC.br apresenta resultados da TIC Domicílios 2007     


14 MAR 2007



Terceira edição da pesquisa revela aumento da posse e do uso das tecnologias da informação e comunicação entre os brasileiros

O Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR — NIC.br ( http://www.nic.br ), apresentou hoje os resultados da 3a. Pesquisa Sobre Uso das Tecnologias da Informação e da Comunicação no Brasil, a TIC Domicílios 2007. A entidade divulgou os indicadores referentes aos módulos Acesso às Tecnologias da Informação e da Comunicação, Uso do Computador, Uso da Internet, Acesso sem Fio e Intenção de Aquisição de Equipamentos TIC.

De acordo com a pesquisa, o ano de 2007 foi definitivo para impulsionar o crescimento do uso da Internet em centros públicos de acesso pago (Internet cafés, lanhouses etc), que se transformaram no local predominante para o acesso à Internet no Brasil. “Esse tipo de acesso pago saltou de 30% em 2006 para 49% em 2007, passando à frente do uso em domicílio, que se manteve estável em 40%, mostrando que a iniciativa privada pode contribuir para amenizar o problema social da exclusão digital no país”, explica Mariana Balboni, gerente do Centro de Estudos sobre as Tecnologias da Informação e da Comunicação (CETIC.br).

Confira todos os detalhes no anexo Destaques – TIC Domicílios 2007 - http://www.nic.br/imprensa/coletivas/2008/tic-domicilios2007.pdf
Todos os resultados da pesquisa estão disponíveis em http://www.cetic.br/.

Outro destaque revelado na pesquisa foi o aumento no ritmo das aquisições domiciliares de computadores em 2007: o equipamento está presente em 24% das residências brasileiras, o que representa aumento de 4 pontos percentuais em relação a 2006. O resultado mostra que os programas de inclusão digital que facilitam a compra de micros pela população por meio do aumento de financiamento e da isenção de impostos estão surtindo efeito.

“O crescimento mais expressivo se deu em domicílios cuja renda está entre 3 e 5 salários mínimos, nos quais a penetração passou de 23% para 40% no período, e que são justamente o foco de programas como o Computador para Todos, do Governo Federal”, ressalta Mariana. E pela primeira vez, mais da metade da população brasileira com mais de 10 anos (53%) informou já ter usado um computador.

Ainda de acordo com o estudo, as conexões em banda larga já estão presentes em 50% dos domicílios brasileiros que possuem acesso à Internet, mas 42% ainda acessam a rede principalmente por modem tradicional via acesso discado. Em 2006, a conexão dial-up era predominante, com 49%, enquanto a banda larga representava 40% dos tipos de acesso domiciliar. O crescimento da banda larga no período foi, portanto, de 10 pontos percentuais. “Esse dado sugere um recente processo de substituição de uma tecnologia de conexão pela outra, e também que os usuários domiciliares de Internet estão se mostrando mais dispostos a pagar por uma conexão mais veloz”, explica.

Entretanto, segundo a gerente do CETIC, os fatores socioeconômicos e as desigualdades regionais ainda são os principais determinantes do acesso à Internet no Brasil: quanto maior a renda e a escolaridade, maior o acesso; regiões mais ricas têm mais acesso. Ou seja, a exclusão digital continua acompanhando a exclusão social no país.

A principal barreira de posse de equipamentos TIC nas residências continua sendo econômica: o custo elevado do computador (78%) e do acesso à Internet no domicílio (58%). No entanto, o principal motivo declarado que leva o brasileiro a não usar a Internet é a falta de habilidade (55%), reforçando que a posse do equipamento não é pré-requisito para o uso. Outros motivos mencionados são a falta de necessidade ou interesse (39%) e a falta de condições de pagar o acesso (31%). “Isso mostra que as barreiras para o uso da Internet no Brasil estão se aproximando mais às questões relacionadas à educação e à capacitação do indivíduo do que ao custo do acesso”, argumenta.

Entre as principais atividades desenvolvidas na Internet em 2007, destacaram-se as ações relacionadas à comunicação, lazer e busca de informações online, que foram realizadas por quase 90% dos internautas brasileiros. Na comunicação, a Internet foi usada principalmente na troca de e-mails (72%), na participação em sites de relacionamentos, como o Orkut (64%), e no envio de mensagens instantâneas (55%).

Metodologia

Produzido pelo Centro de Estudos sobre as Tecnologias da Informação e da Comunicação (CETIC.br), o estudo foi realizado entre os meses de setembro e novembro de 2007 e investigou 17 mil domicílios na zona urbana, entrevistando pessoas com 10 anos ou mais, nas cinco regiões do país. A amostra foi desenhada com base na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística — IBGE.

“A iniciativa tem como objetivo acompanhar a evolução da Internet no Brasil e fornecer subsídios para a elaboração de políticas públicas que garantam o acesso e uso da rede, assim como a participação democrática de cidadãos e países na sociedade do conhecimento”, afirma Mariana Balboni.

A pesquisa foi realizada em parceria com a Ipsos Public Affairs e manteve o padrão metodológico internacional da OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico) e da Eurostat (Instituto de Estatísticas da Comissão Européia). A TIC 2007 contou, ainda, com a colaboração do Observatório para a Sociedade da Informação na América Latina e Caribe (OSILAC), da Comissão Econômica para a América Latina e Caribe das Nações Unidas (CEPAL), que trabalha com o desenvolvimento dos indicadores-chave das Tecnologias da Informação e da Comunicação, aprovados na Cúpula Mundial da Sociedade da Informação (CMSI), em 2005.

Sobre o CETIC.br

O Centro de Estudos sobre as Tecnologias da Informação e da Comunicação - CETIC.br - é responsável pela produção de indicadores e estatísticas sobre a disponibilidade e uso da Internet no Brasil, divulgando análises e informações periódicas sobre o desenvolvimento da rede no país.
Para mais informações, acesse http://www.cetic.br.

Sobre o Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR - NIC.br

O Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR — NIC.br ( http://www.nic.br ) é uma entidade civil, sem fins lucrativos, criada para implementar as decisões e projetos do Comitê Gestor da Internet no Brasil — CGI.br ( http://www.cgi.br ), que é o responsável por coordenar e integrar as iniciativas de serviços da Internet no país. O NIC.br responde pelo registro de nomes de domínio — Registro.br ( http://www.registro.br ), pelo Centro de Estudos, Resposta e Tratamento de Incidentes de Segurança no Brasil - CERT.br ( http://www.cert.br ), pela implantação e operação dos Pontos de Troca de Tráfego — PTT.br ( http://www.ptt.br ) e pelo Centro de Estudos sobre as Tecnologias da Informação e da Comunicação — CETIC.br ( http://www.cetic.br ), cujo objetivo é produzir e divulgar informações e estatísticas sobre a disponibilidade e o uso da Internet no país.

Sobre o Comitê Gestor da Internet no Brasil - CGI.br

O Comitê Gestor da Internet no Brasil coordena e integra todas as iniciativas de serviços Internet no país, promovendo a qualidade técnica, a inovação e a disseminação dos serviços ofertados. Mais informações em http://www.cgi.br/

Para mais informações, acesse: www.s2.com.br ou www.nic.br

Entidade: Núcleo de Informação e Coordenação (NIC.br)
Fonte: Mariana Balboni, gerente de comunicação

Jornalistas Responsáveis
S2 Comunicação Integrada - http://www.s2.com.br
Veronica Cassavia – veronicac@s2.com.br
José Luiz Schiavoni (MTb 14.119) joseluiz@s2.com.br